Será que eu quero realmente mudar de hábito?

Se a resposta for “Eu quero, mas…”, “Eu gostaria…”, ou “Eu preciso…”, pode esquecer. Acenda um cigarro, peça outro chopinho com batatas fritas e deixe tudo como está. Se a resposta for “Eu quero, mas…”, “Eu gostaria…”, ou “Eu preciso…”, pode esquecer. Acenda um cigarro, peça outro chopinho com batatas fritas e deixe tudo como está.

Agora, se você quer mesmo, eis uma das melhores dicas:

Não tente se livrar de um vício, substitua-o por outro.

É duro abandonar alguma coisa de que se gosta. É mais fácil substituí-Ia por outra igualmente (ou mais) agradável. O dia só tem 24 horas e uma hora só 60 minutos. Se você descobrir algo tão bom (mas talvez menos prejudicial) do que o vício de que você quer se livrar, será muito mais fácil. Economia de tempo.

Muita gente tem consciência de que começa a comer demais quando deixa de fumar. Estão instintivamente usando o mecanismo de substituição de prazeres. Vejam que a palavra-chave aqui é prazer. Porque, se o novo hábito não der prazer, você vai acabar desistindo. Colecionar selos talvez não dê tanto prazer quanto ficar sentado diante da TV. Mas jogar xadrez com o computador pode dar. E, mudando de hábito, você “quebrou a rotina”.

Não quero, nem posso fazer uma lista prioritária dos vícios bons, ruins e aceitáveis.

A escolha é individual. Tudo depende dos seus gostos, desejos e imaginação. E do que você teme: colesterol, cirrose, câncer do pulmão ou AIDS. Escolha.

Lembre-se: quando falo em substituição de vícios, estou usando a palavra “vício” no sentido mais amplo possível. Refiro-me a um hábito ou costume que, por uma razão ou outra, se tornou indesejável ao indivíduo (apostar em cavalos, ficar puxando o próprio cabelo). Da mesma forma, o novo hábito preferencialmente não precisa ser algo maléfico.

Extraído do livro Ninguém Morre de Trabalhar, O Mito do Estresse – Editora Texto Novo, de Osmar de Almeida Santos. Editora Texto Novo. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone/ Fax: (11) 3088-0130 E-mail: , [email protected]

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima