Serviços indesejados

Serviços indesejados Todos sabem que vão precisar, mas ninguém quer comprar nem ouvir falar do assunto. Todos sabem que, em um determinado dia, e em menos de 24 horas terão de recorrer ao mais indesejado dos serviços. Entretanto, por cultura, egoísmo ou medo, deixam que os outros corram atrás. E assim sempre foi a vida das empresas de serviços funerários, até que em um determinado dia resolveram inovar e parar de ficar esperando que os parentes do usuário, inconsoláveis e nervosos, batessem em suas portas.

A solução foi agregar outros e relevantes serviços que sinalizassem, acima de tudo, o apreço e a valorização à vida, embora cuidassem de todas as providências necessárias a um bom e digno funeral.

Se fossem exclusivamente planos de serviços funerários, ninguém compraria, por isso produziram um diferencial sobre o inevitável e passaram a oferecer um cartão de descontos. Hoje, em muitas cidades do Brasil, as empresas mais prósperas da categoria são as que oferecem, além dos serviços funerários, uma série de descontos voltados à manutenção da saúde e prevenção de doenças.

Com uma entrada parcelada que varia entre cem e mil reais, mais uma mensalidade entre 15 e 50 reais, o titular do plano e seus dependentes têm direito a uma série de descontos, além do caixão, preparação e transporte do corpo, flores, velas, véu, café/bolo/bolacha no velório, livro de presença, além de toda a orientação necessária no cumprimento das exigências legais e, ainda, como opcional, a criação e publicação de anúncios em jornais.

A maior parte dos descontos ? entre 10 e 60% ? refere-se à compra de remédios em farmácias, consultas médicas e exames de laboratórios. Mas, devido ao sucesso alcançado, uma boa parte dos planos se deixou tentar por outros prestadores de serviços, passando a oferecer descontos em cinema, espetáculos, lojas, supermercados, convertendo o indesejado ?cartão funeral? no simpático e bem recebido ?cartão de descontos pró-saúde e vida?.

Os cartões de descontos das empresas funerárias crescem e prosperam, pois uma parcela expressiva da população brasileira não tem a condição econômica mínima para aderir ao mais básico dos planos de saúde. E, ao crescer e prosperar, dão carona ao mais indesejado dos serviços garantindo sobrevivência e, até mesmo, prosperidade às enfraquecidas funerárias.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima