Socorro, o líder sumiu?

Socorro, o líder sumiu? O que aconteceria com sua equipe se você precisasse se ausentar e voltasse apenas em três meses, de repente, sem aquele longo mês de trabalho antes das férias para deixar tudo em ordem?
Eles saberiam o que fazer?
Eles saberiam o que a empresa espera deles?
Eles teriam capacidade de enfrentar os desafios?
Eles continuariam a evoluir e se reinventar se fosse preciso?

Tudo bem, nessa última pergunta eu peguei pesado, sei disso. Agora, se você responder sim para as primeiras três perguntas, parabéns, você é um líder excepcional.

Mas a realidade é bem diferente. Normalmente, os líderes se perdem da sua real função, que é a de deixar cada um consciente do seu papel, da sua missão pessoal na organização. Sei que, algumas vezes, isso está nos manuais de procedimento e nas descrições de cargos, mas será que você já explicou isso francamente para sua equipe? E se quisermos ser mais revolucionários, será que você consegue definir isso claramente e ainda deixar espaço para cada um dar o seu toque pessoal e contribuir com sua inteligência?

Parece que a proposta que estou fazendo para você, líder, é muito simples. Deixe sua equipe ciente do que você espera dela. Seja prático e simples e, acima de tudo, crie índices que deixem claro o que você quer dizer. Afinal, tudo o que pode ser descrito em números é muito mais fácil de assimilar e controlar.

Tudo tem de ter um começo, converse com a pessoa de Recursos Humanos e dê uma olhada prática na descrição de cargos da sua estrutura de vendas. Se você não tiver isso, esse pode ser um bom começo. Mas cuidado para que essa descrição não seja uma grande enrolação, deixe-a clara e transparente. Baseado nisso, anexe os controles que você fez referente a sua equipe, que podem ser volume de vendas, carteira de clientes, prospecção e venda adicional, por exemplo. Também institua alguns índices de satisfação do cliente e de recompra. Para esses, você precisará de uma pequena pesquisa de satisfação dos clientes, que pode ser feita internamente mesmo.

Converse com o grupo ou individualmente, traga-os de volta às bases da sua empresa. Faça-os entender os reais motivos pelos quais eles estão aí, ao seu lado e diante do cliente. Isso pode significar uma longa conversa mesmo, sem tantos números inicialmente, mas com muita paixão. Aquela mesma paixão que levou você a estar na posição de liderança que se encontra hoje, e lembre-se o quanto você almejou esse cargo e o quanto lutou para estar nele, o quanto abriu mão de sua família e, algumas vezes, até de seus amigos. Enfim, todos sabemos o tamanho dessa luta.

Depois demonstre claramente o quanto cada um deles é importante nesse desafio, o trabalho, a transpiração e, por fim, os números e os índices. Falando assim parece tudo muito simples, mas sabemos que não é, quem sabe toda essa conversa leve você a um mergulho nas suas convicções, uma viagem pelo seu passado e a criação de um modelo de índices que realmente sejam claros e avaliem os resultados muito além do volume de vendas.

Da próxima vez que alguém perguntar o que aconteceria se você sumisse por três meses, espero que você diga que nada ou muito pouco mudaria. E segure seu ego, pois esse será um grande novo desafio. Pense nisso.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima