ToolPlayer

Quando dificuldades se transformam em oportunidades Como a indústria automotiva brasileira contribuiu para a criação de uma empresa do setor eletrônico? Pagando os fornecedores. Não entendeu? e saiba por que a multinacional brasileira TW Group (Tooling Worldwide Group) criou a ToolPlayer ? marca de tocadores de música que vão do MP3 ao MP7. A virada do milênio veio acompanhada de um dilema para a TW Group ? holding que controla empresas de tecnologia de moldagem e injeção plástica para os setores automotivo, aeroespacial e petrolífero de três continentes. Os moldes plásticos de grande porte, como parachoques e painéis de carro, desenhados e produzidos pela multinacional instalada em Curitiba, PR, caíram no gosto das montadoras automotivas.

Mas e o dilema? Você deve estar se perguntando: ?A TW Group não sabia como investir o dinheiro das vendas??. Ledo engano. Quem explica é o sócio-diretor do grupo, José Damigo Neto: ?A tendência das montadoras é postergar ao máximo o pagamento dos fornecedores para coincidir com o cronograma de venda dos veículos. É por isso que nós, fornecedores desse mercado, temos de esperar prazos superiores a 180 dias para recebermos os valores e cobrir os custos?.

Como nem tudo que reluz é ouro ou, no caso da TW Group, nem tudo que é vendido tem retorno imediato, a empresa procurou outra forma de manter o caixa ativo. Este era o principal objetivo da ToolPlayer quando foi criada, em 2006: ?Sua função era operar processos de trading e distribuição de produtos eletrônicos, em que o encaixe financeiro ocorresse em um período inferior a 90 dias?.

Marca ? A TW Group inseriu sua marca de eletrônicos em um segmento dominado pelo i-Pod da Apple, referência desafiadora até mesmo para a poderosa Microsoft, que não conseguiu emplacar o tocador de música Zune no mercado. ?Ao analisarmos o consumidor do i-Pod, observamos que ele é atualizado, e não planejador, ou seja, um comprador compulsivo que tem dinheiro para gastar quando quiser. Já o nosso cliente é atualizado e planejador. Quando descobrimos isso, definimos o nicho de atuação da marca?, conta Damigo. O público-alvo da ToolPlayer é composto de jovens das classes C, D e E de todo o Brasil que compram os tocadores a partir de 90 reais.

Hoje, a empresa que estabilizou o ativo da TW Group possui uma equipe de apenas dez pessoas. Elas controlam desde processos de prospecção e contratos de manufatura até atividades logísticas. ?Assim, podemos nos concentrar nas atividades ?fim? do negócio como marketing, vendas e promoções, deixando o restante para empresas terceirizadas ou ainda compartilhando a estrutura administrativa da holding?, explica Damigo.

Utopia ? ?O sonho de todo empresário, de qualquer setor, é obter maior ganho, operando o menor volume e trabalhando o menos possível. É utópico, eu sei, mas todos que conheço perseguem isso?, conta Damigo. Utopia, no sentido literal da palavra, é a descrição imaginativa de uma sociedade ideal.

Depois de visualizar o cenário ideal para a ToolPlayer, Damigo a transformou em uma operadora de supply chain, companhia responsável pela logística do negócio, que começa no fornecedor, passa pela produção e distribuição e chega ao consumidor final. ?A empresa que mais se aproxima dessa utopia é a integradora, aquela que entra nas atividades ?fim? do negócio e faz com que todas as ?meio? sejam terceirizadas?, como a produção dos tocadores feita na China.

Mas não podemos esquecer que a ToolPlayer nasceu com uma estrutura que, segundo o diretor da holding, não cresceu da noite para o dia. ?Uma empresa qualquer demoraria décadas para conseguir isso. Nós entregamos essa estrutura para a ToolPlayer instantaneamente.?

José Damigo Neto ?O resultado não poderia ter sido melhor. A empresa vem crescendo cada vez mais, ultrapassando sua função de origem para assumir uma estatura de oportunidade global rentável.?

Coragem e criatividade

A inovação e diferença competitiva não precisam estar necessariamente no produto ou serviço da empresa, e sim na coragem e criatividade para ir além da percepção usual ? essa é a lição que podemos aprender com a ToolPlayer. Analisar os sinais das pessoas e mercados sem medo de errar no caminho, certamente, irá impulsionar a inovação que fará a diferença para sua marca.

Colaborou nesta matéria: Mateus Redivo

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima