Troque a novidade pelo que funciona

Troque a novidade pelo que funciona Douglas Rozen, vice-presidente de marketing interativo, Peppers & Rogers Group

Dia 1º de julho de 1941, Estados Unidos, a tecnologia da televisão engatinhava, não havia redes ou canais transmitindo programas com regularidade. A quantidade de casas ou locais públicos com televisores era irrisória e provavelmente era possível contar nos dedos as pessoas que tinham seus aparelhos ligados no meio da tarde daquele dia e que viram na tela a imagem em preto e branco, de baixíssima resolução, de um relógio de pulso com a voz de um locutor divulgando: ?Os Estados Unidos funcionam no tempo da Bulova?.

A função desse parágrafo não é lhe dar a resposta para a pergunta: ?Qual foi o primeiro comercial de TV do mundo??, mas sim nos fazer pensar em quão pouco evoluímos em termos de publicidade desde então. Hoje, temos televisores de plasma de alta definição, mas o antigo comercial da Bulova provavelmente ainda teria algum impacto, segundo alguns. Veja a internet. Mesmo com o aumento da utilização e o avanço galopante das tecnologias, a criatividade na publicidade on-line não aumentou muito desde que o primeiro banner apareceu, em 1995.

Temos mais tecnologia do que nunca à nossa disposição. Mas muito do que vejo por aí como ?novo?, na verdade, é apenas o ?velho? com uma roupa nova. Uma versão do link patrocinado existe desde o início da televisão. Nos Estados Unidos, novelas são chamadas de soap operas ou ?teatro do sabão? justamente porque marcas de sabão patrocinavam as primeiras exibições.
Link patrocinado não serve para todos os casos. Em vez de arranjar uma tecnologia e tentar colocá-la na estratégia, primeiro foque a estratégia e, depois, veja a tecnologia que pode lhe ajudar. Escolha apenas uma estratégia, acompanhe:

&raquoCriar imagem de marca on-line ? Seja grande, ousado e esperto. No início da internet, os anúncios eram mais criativos, chamavam mais atenção. Uma das regras para o pessoal que trabalha comigo: ?Imaginem que ninguém clicará ou passará o mouse nele?. Assim, o banner tem de ser bom por si só. É claro que você precisa de interatividade, mas se quiser chamar atenção para sua marca, a criatividade tem de se sustentar sozinha.

&raquoGerar tráfego no seu site ?
Se um site é importante em sua campanha, os links patrocinados assumem o seu verdadeiro papel. Há a questão do custo gasto por clique, mas enquanto o retorno sobre investimento estiver favorável, invista na ferramenta. Para gerar tráfego para seu site, ao contrário da imagem de marca, seja simples e direto. Aqui, não há espaço para inventar. Seja criativo no seu site, não no link.

&raquoGerar uma lista de nomes e informações de possíveis clientes (data-base) ?
Em todo lugar, empresas fazem com que milhares de pessoas cliquem, se registrem e forneçam informações em troca de algum incentivo. Como resultado, temos milhões de usuários inativos. Ninguém ainda descobriu como manter milhões de pessoas ativas durante um longo período de tempo e fazer com que a maioria delas se torne clientes. Hoje, os melhores resultados são conseguidos quando se faz com que os clientes adicionem dados aqui e ali durante o período de relacionamento. Isso se consegue sempre adicionando algo ao site. Veja o exemplo da Amazon.com e do Google.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima