Um gesto por um sonho

Quando Willian nasceu, era o garoto mais forte do berçário, bochechas rosadas, poucos cabelos na cabeça quase careca. Fazia bico sempre que queria colo. Willian cresceu sempre precisando de muitos cuidados, ?de saúde enfraquecida?, dizia o padrinho. Sua mãe, Ana, dobrava-se de atenção e carinhos para o menino, que era o queridinho da família com seu jeito tímido e alegre de brincar e conversar Quando Willian* nasceu, era o garoto mais forte do berçário, bochechas rosadas, poucos cabelos na cabeça quase careca. Fazia bico sempre que queria colo. Willian cresceu sempre precisando de muitos cuidados, ?de saúde enfraquecida?, dizia o padrinho. Sua mãe, Ana, dobrava-se de atenção e carinhos para o menino, que era o queridinho da família com seu jeito tímido e alegre de brincar e conversar.

Certo dia, Willian acordou mais cedo. A alegria de Ana em relembrar bons momentos logo foi substituída pela tristeza de ver o olhar cansado de seu filho, que estava morrendo de leucemia. Ela chegou mais perto da cama e, com grande determinação, perguntou a ele: ?Willian, alguma vez você pensou no que gostaria de fazer da sua vida??. Era a vontade que brotava no seu coração, o desejo que toda mãe tem de ver o filho crescer e realizar os seus sonhos. Apesar de impossível, nem a doença tirava da mãe o desejo de ver o sonho de seu filho realizado. ?Mamãe, eu sempre quis ser um bombeiro?, respondeu Willy. ?Vamos ver se podemos transformar esse sonho em realidade?, disse Ana, sorrindo.

Na tarde daquele dia ela foi até o Corpo de Bombeiros de sua cidade e pediu para falar com o comandante. Ela explicou a situação do menino e perguntou se seria possível realizar o último sonho do garoto, dando a ele uma volta no quarteirão dentro do carro de bombeiros. Ana teve sorte, pois quem ouviu o seu pedido não foi simplesmente o comandante da corporação, mas o homem por trás do uniforme, um homem de bom coração. ?Talvez a gente possa fazer mais do que isso. Se você vier com seu filho pronto às sete horas da manhã na próxima quinta-feira, nós o faremos um bombeiro honorário por todo o dia?, disse o comandante. ?Ele pode comer conosco aqui no quartel e sair para atender as chamadas de incêndio. Se você nos der as medidas dele, nós conseguiremos um uniforme verdadeiro, com chapéu e emblema do nosso batalhão, e botas também?.

Na quinta-feira Willian vestiu-se com o uniforme de bombeiro e foi escoltado pelo comandante do seu leito do hospital até o caminhão. Willian foi sentado na parte de trás do caminhão até a corporação. Ele participou de três chamados atendidos pela unidade naquele dia e se sentia no céu. Voltou ao hospital exultante, dando muitos beijos na mãe, por ter realizado seu grande sonho.

No domingo à noite, as funções vitais de Willian começaram a cair drasticamente, e a enfermeira-chefe chamou toda a família do garoto. Ela se lembrou daquela tarde de quinta-feira e ligou para o comandante, perguntando se algum bombeiro poderia ir até o hospital para estar ao lado do menino nos minutos finais. ?Acho que podemos fazer mais do que isso. Em cinco minutos estaremos aí. Por favor, quando ouvir as sirenes e notar as luzes dos carros, avise no auto-falante que não se trata de um incêndio. Diga apenas que é do corpo de Bombeiros indo visitar, mais uma vez, um de seus mais distintos integrantes?.

Cinco minutos depois o caminhão de bombeiros parou na frente do hospital. A escada foi erguida até o quarto de Willian, e 16 bombeiros subiram pela escada e entraram no quarto. Os olhos do menino brilhavam a cada bombeiro que passava pela janela e ia na direção da sua cama. Eles o abraçaram e disseram que o amavam muito.

O garoto apertava com o que restava da força a mão de sua mãe. Olhou para o comandante e, com uma voz fraca, perguntou: ?Chefe, eu sou mesmo um bombeiro??. O comandante respondeu: ?Willian, você é um dos melhores?. Ao ouvir essas palavras, Willian sorriu e fechou seus olhos pela última vez.

Frase: ?Amor é força que cria vida em todos os seres? ? Provérbio chinês

Viviane Pereira é jornalista e escritora, além de assessora de imprensa na X-Press Assessoria em Comunicação. Site: http://vivianepereira.wwwbr.com.br. E-mail: [email protected]

Para Saber Mais: Heróis da Vida Real, de Viviane Pereira (Editora Celebris). Visite: www.celebris.com.br.

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima