Uma questão de atitude

Quem nada faz nada gera. Não tenha medo de executar sua idéia. O primeiro passo é sempre o mais difícil, porém, sem ele, não existe caminhada. Idéias não trabalhadas nem executadas tendem a perder o significado e, conseqüentemente, o espaço. Por esse motivo, busque a realização. Isso requer força de vontade, coragem, determinação, além de foco e objetividade.

Então, comece a estruturar suas ações:

Consolide a idéia. Saiba seu significado, acredite nela, pois ninguém luta por algo em que não acredita. A descrença do criador representa o fracasso de sua criação. Antes de defender sua idéia externamente, ela precisa ser internalizada e você precisa estar pronto para responder aos questionamentos. Tudo o que é novo gera incertezas e as pessoas procurarão segurança em suas palavras.

Planeje as ações. Elabore estratégias que possibilitem a implementação de sua idéia. Considere recursos necessários, formas de operacionalização, tempo de execução, resultados esperados e principais envolvidos. O planejamento fornece foco às ações e tende a otimizar os resultados.

Determine o comportamento. Depois de consolidadas e planejadas, as idéias precisam ser compartilhadas, e isso requer habilidades de comunicação e poder de argumentação. No entanto, tenha em mente que nem sempre as pessoas compartilharão de sua visão, isso faz parte do processo de difusão da idéia. Ouça as opiniões e as críticas, pois elas podem agregar valor e preencher algum gap existente.

Realize. Quem nada faz nada gera. Não tenha medo de executar sua idéia. O primeiro passo é sempre o mais difícil, porém, sem ele, não existe caminhada. Respeite seu momento e o tempo dos acontecimentos.

A capacidade de realizar o que pensamos nos transforma em autores de nossas próprias realidades. Escrevemos nossa história a partir do momento que transcendemos os limites da existência. O que já existe é comum, o novo é a grande oportunidade. Quando acreditamos nisso, o insucesso de nossas realizações passa a ser visto como uma nova maneira de recomeçar. Idéias não são um fim em si, pois, se assim fossem, não seríamos surpreendidos com tantas inovações e realizações. Elas são meios que nos despertam para os caminhos que podemos seguir, cabendo a nós, única e exclusivamente, a decisão de trilhá-los. É uma questão de atitude.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima