Varejo desmotivado

A motivação no varejo é essencial para que as vendas saiam como se deseja, já que cliente nenhum quer comprar com vendedor desmotivado Fico perplexo e muito assustado com a frieza, o desinteresse e a incômoda apatia como o cliente é tratado em muitas lojas em nosso País. Poucos se esforçam para conhecê-lo, quase ninguém descobre o nome dele, ninguém dá show de atendimento. A principal missão de um vendedor é impactar a vida do seu cliente, que entra e sai da loja e não acontece nada. E haja venda perdida.

O mais importante num vendedor não é o fato de ele ser interessante, é ser interessado. Ele deve mostrar um real interesse pelo cliente e colocar energia no escutar. Lembre-se: o cliente não quer produtos e sim energia da sua equipe. Dessa forma, seremos cada vez mais vendedores de energia, paixão, vibração, alegria e otimismo.

Falta vida na argumentação; falta espetáculo, coração, emoção, alegria e dramatização no varejo brasileiro. Constatação dramática: a alegria ainda é exceção no varejo do Brasil. A tristeza das equipes está afetando a alegria dos clientes. O consumidor não vai às compras para receber uma descarga de energia negativa de um vendedor sem motivação.

Estou absolutamente convicto de que se existe uma grande crise no varejo brasileiro, ela é espiritual. Falta determinação em vender e vencer ? é muita gente perdendo garra. São necessários: seriedade, projeto de vida, rumo e liderança.

O ambiente de muitas lojas parece um funeral. A postura corporal e a expressão facial dos vendedores na linha de frente revelam carência.

O assunto é muito sério. De onde vem tanta desmotivação? Estamos vivendo a maior competição de todos os tempos. É hipercompetição, é megacompetição. O tempo é de muita dor. Estou certo de que nenhuma geração foi mais exigida que a nossa.

Nunca doeu tanto para se ganhar dinheiro. Nunca fomos tão testados, desafiados, exigidos, postos à prova como nos dias de hoje. Nunca sofremos tanto para atingir nossos objetivos. Nunca precisamos tanto de ajuda emocional e espiritual como atualmente. Você vai ter de competir com todas as suas forças se quiser vencer o jogo.

O varejo deve rever sua estratégia emocional/espiritual em regime de urgência. O desafio do varejo não é comercial, é eminentemente emocional e espiritual. No aspecto tecnológico, o varejo progrediu tremendamente nos últimos 20 anos. No aspecto espiritual/emocional, ele está estagnado.

A competição agora é entre espíritos: vencerá o mais resistente emocionalmente. O espírito decidirá o jogo. Pense com muita seriedade e interesse no cliente. Você garante que você e o restante da equipe de sua loja sabem o que fazer e como fazer com ele? Garante mesmo? Dedique-se em fazer tudo para que o cliente saia satisfeito da sua loja e aumente suas vendas!

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima