Vendas no varejo: menos maquininhas e mais inteligência

Por Eduardo Vils

Quando um estabelecimento opta por aceitar cartões de crédito, há todo um procedimento a ser seguido. O varejista começa pelo banco, abrindo uma conta, definindo o domicilio bancário para sua empresa e avisando aos clientes que vai aceitar cartões. O banco, então, oferece uma máquina POS (Point of Sale) do adquirente ao qual é vinculado e, se o varejista quiser aceitar outro tipo de cartão, é bem provável que tenha que abrir cadastro em um segundo banco, para obter o equipamento de outro adquirente.

Além de dispor de duas contas, com pagamentos de duas tarifas, o controle de caixa fica mais complexo, sendo necessário acessar os portais de adquirentes diferentes para consultar os valores dos recebíveis. Se houver algum problema de valor recusado ou cancelado indevidamente, o varejista tem que entrar em contato com o adquirente, que joga a culpa no banco (e vice-versa) e o prejuízo, afinal, acaba ficando com o próprio varejista.

Ou seja, a opção de aceitar cartões existe para facilitar a realização de compras e vendas, mas, em função de tanta burocracia, acaba dificultando a vida e a venda.

Como um TEF integrado pode desburocratizar a venda no varejo

cartão de crédito no varejo 1Um caixa com a solução de TEF (Transferência Eletrônica de Fundos) integrada é o caminho para desburocratizar as vendas no varejo. Existem diversos fornecedores de TEF no mercado, entretanto, ao escolher, opte por um que ofereça a solução completa, com máquina, software, datacenter e conexão segura.

Neste sistema, uma única máquina tem afiliação em todas as adquirentes vinculadas, aceitando todas as bandeiras de cartões e ainda proporcionando que o administrador acesse um portal que traz todas as vendas por operadora.

O TEF integrado permite, ainda, negociar taxas diferenciadas com as empresas que operam os cartões. Dessa forma, os caixas funcionam como telefones celulares desbloqueados, que possibilitam a utilização de vários chips, cada um com sua tarifa promocional. O TEF integrado é programado para que a venda seja encaminhada para o adquirente que oferece as melhores taxas para cada tipo de operação: à vista, parcelado, débito, etc.

Além da facilidade de operação e da garantia de que as transações serão as mais baratas para o varejista, o TEF integrado permite que ele se concentre, acima de tudo, no que é realmente importante: seu próprio negócio.

Eduardo VilsEduardo Vils

Sócio fundador e CEO da Cappta, empresa especializada em tecnologia para aceitação de cartões no varejo físico – www.cappta.com.br

 

Imagens: freepik

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima