Vendas, para o alto e avante

A história de um vendedor de revistas em quadrinhos Nas ruas de Belo Horizonte, ele pode surgir a qualquer momento com sua placa gigante na mão. Aparece de várias formas: vestido de Homem-aranha, de terno, correndo de baixo de chuva, de moto, tocando violão, pulando ou dançando.

Identidade secreta: Lacarmélio de Araújo, conhecido como Celton, vendedor, escritor, desenhista, arte-finalista, cantor e muito mais. Tornou-se uma pessoa pública no Estado de Minas Gerais e até no Brasil. ?Eu sempre acreditei que isso iria acontecer?, revela o vendedor.

Em 1981, deu início ao seu sonho. Passou a produzir uma revista de histórias em quadrinhos que tem como cenário a cidade de Belo Horizonte, desenhada com detalhes impressionantes. O protagonista é um super-herói chamado Celton, que não usa disfarce nem patrulha a cidade. Ele é uma pessoa comum, que vive sua vida e trabalha como mecânico. Seu ?superpoder? está em sua mente; ele leva as pessoas a refletirem.

Segundo Celton, vender é emocionante, é uma atração. ?O vendedor precisa ser um sedutor?, diz. Para ele, o contato com o povo, a conquista e a alegria estão acima do dinheiro, apesar de ter uma renda excelente. Suas dicas: jamais vender algo em que você não acredita, nunca dar troco a menos, vender, mesmo que seja para receber depois, conquistar a simpatia do povo e nunca sair de casa sem estar motivado. Ele sempre é chamado para dar palestras sobre vendas em muitos lugares.

Muito criativo, Celton tem um CD de músicas próprias e, além de ficção, já escreveu dois fascículos, um deles contando a história da cidade de Belo Horizonte. Celton fez questão de deixar um recado para todos: ?A maior descoberta que uma pessoa pode fazer é se conhecer quando isso acontece, ela percebe que tem dentro de si tudo o que precisa para vencer?.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima