Veteranos x Novatos x Temporários

Em períodos de festa, em que a economia varejista está aquecida, é preciso valorizar os três tipos de colaboradores que ajudam no aumento das vendas do varejo. Estamos no começo de mais um mês de dezembro e o varejo continua ?à caça? de profissionais para preencher as vagas de fim de ano nas mais variadas funções. Até pouco tempo, costumava-se contratar através de indicação dos próprios funcionários ou mesmo parentes dos próprios lojistas que estavam disponíveis, porém as empresas em geral estão percebendo que esse tipo de ação, em algumas funções, não funciona mais. Outro fato interessante desse período, ocasionado pela maior oferta de vagas no varejo, é o movimento feito por determinados profissionais que estão insatisfeitos em suas empresas e buscam outros desafios, colocando-se à disposição para serem contratados em outras lojas. Isso requer uma negociação bem-feita, visto que, normalmente, são talentosos e possuem uma boa carteira de clientes; e se por um lado reforçam, por outro tiram força das lojas ? um movimento interessante e digno de cuidados especiais.

Os lojistas mais antenados já fizeram pesquisa interna para verificar as possíveis baixas, definiram o quantitativo necessário, selecionaram, contrataram e estão treinando suas equipes visando a realizar um processo de integração entre os veteranos, os novatos e os chamados temporários. Com isso, eles afinam conceitos, conhecimento de produtos e, especialmente, conhecem os clientes.

Se o processo é de seleção dos melhores, então é preciso planejar e organizar ações bem definidas. Antecipe-se ao mercado, pois com a desculpa de que só irá precisar de temporários para o mês de dezembro, correrá o risco de contratar os que ?sobraram? e terá que optar pelos menos ruins. Sabemos que acertar na contratação será o indicador de bons negócios e manutenção de bons profissionais na empresa pós-temporada. Nessa época do ano, a empresa fica composta dos seguintes talentos:

? Veteranos: aqueles que formam a base de toda equipe ? a espinha dorsal, o esqueleto. Considerados de confiança, eles detêm informações importantes e são responsáveis por treinar e integrar futuros contratados.

? Novatos: contratados durante o ano, são peças de reposição e aumento de quadro funcional.

? Temporários: contratados durante períodos de movimento extras (Dia das Mães, dos Pais, das Crianças e principalmente Natal) dão suporte à demanda sazonal.

Esses talentos são responsáveis pela economia varejista e devem ser tratados como especiais. Com a competitividade gerada pela oferta e procura não há mais emprego garantido, nem as avaliações seguem padrões gerais. Existe espaço para todos, ou seja, o mercado é amplo e não exclui só porque a pessoa não tem experiência ou quando se trata de contratação inicialmente temporária. Há bastante espaço para os melhores, para os competentes, para os que têm vontade de aprender e trabalhar!

As dicas de hoje são bem simples:

A você lojista: faça um bom planejamento, trace o perfil ideal para cada função, selecione, treine e jogue junto. Faça isso tudo com antecedência. Vale a pena investir na qualidade antes da contratação, pois contratar certo é a melhor solução e investimento.

A você trabalhador: esteja entre os melhores, estude, comprometa-se com a empresa e com você mesmo, pois o único responsável por sua contratação e manutenção no trabalho é o seu próprio desempenho.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima