Walt Disney: criativo, crítico e executor

Como usar o modelo mental de Walt Disney para desenvolver ideias e projetos?

Quem nunca ouviu falar do gênio Walt Disney? Sua fama foi baseada em seus múltiplos talentos como empresário, artista, empreendedor, líder, inovador, animador, etc. Ele criou obras e organizações tão vivas e presentes que revolucionaram o mundo do entretenimento. A programação neurolinguística se atreveu a estudar o modelo mental dele e concluiu que sua técnica mental, apesar de natural em seu estilo de liderança, pode ser aprendida por outras pessoas.

 

O método utilizado por ele é dividido em três partes totalmente diferentes entre si, mas que se complementavam de forma a torná-lo um gênio. Walt Disney era dono de uma estratégia mental ímpar, pois, além de ser altamente criativo, também era capaz de usar sua mente crítica e, ao mesmo tempo, ser um executor de ideias. E é aí que se guarda o grande segredo das esplêndidas realizações de suas obras: ele sabia como equilibrar as três funções mentais em busca de seus objetivos, enquanto a maioria das pessoas tem predominância em somente uma das três forças.

 

Existem indivíduos que são altamente criativos, mas não conseguem ter o senso crítico para avaliar a viabilidade de suas obras – muitos gênios das artes morreram na miséria. Alguns são dotados de grande inteligência crítica, no entanto, não conseguem executar ou criar obras. E outros são “tratores” para executar, porém não sabem criar ou criticar com sabedoria os projetos, pois nasceram para fazer, não para pensar criativamente.

 

Use o modelo de Walt Disney

 

  • Escolha um projeto que pretende realizar.
  • Pegue três folhas de papel. Na primeira, escreva Criativo; na segunda, Executor e na terceira, Crítico. Coloque-as no chão com um metro de distância entre cada uma formando um triângulo (veja na figura da pág. 23).
  • Imagine que cada papel é uma sala de trabalho. A imaginação é muito importante nessa técnica, por isso abuse dela e da criatividade.
  • Entre na sala 1. Vá até o papel e imagine-se entrando em uma sala de criatividade. Quando se aproximar do papel Criativo, comece a criar seu projeto. Visualize sua ideia sendo concretizada. Você estará acionando a mente criativa, ela não tem censura, é livre e solta. Veja as cores, os sons, as pessoas envolvidas no projeto – feche os olhos para facilitar. Sinta a emoção desse projeto pronto. Talvez sua mente crítica esteja lhe dizendo: “Que bobagem”, mas não permita que ela entre nessa sala, pois está na sala da mente criativa. Você pode até convidar para esse momento alguns artistas que lhe ajudarão a sonhar e a imaginar seu magnífico projeto. Fique o tempo que achar necessário para criar e visualizar sua ideia pronta. As pessoas nessa primeira fase levam, em média, 4 minutos.
  • Depois disso, dê alguns passos e entre na sala da mente executora, você estará na sala do executor. Assuma esse papel no projeto. Sua missão é concretizar as ideias. Agora, sua mente pensa em números. Pense nos recursos financeiros, material, pessoas que trabalharão, despesas, lucros, projeções, etc. Permita que sua mente executora passe a trabalhar na construção de um plano de negócios. Veja qual será o investimento financeiro. E o prazo? Quanto tempo para concretizar seu sonho? Quantas pessoas trabalharão? Será necessário fazer uma pesquisa de mercado? E o retorno do seu investimento? Leve o tempo que achar necessário para visualizar o processo de execução do seu projeto até que você perceba como ele será realizado com viabilidade. Quando terminar essa fase, passe adiante.
  • Você entra agora na sala da mente crítica e assume o papel de uma pessoa muito racional e calculista. Olhe para o projeto que foi criado pelo artista e planejado pelo executor e faça suas ressalvas. Avalie se o prazo é coerente e se os recursos estão adequadamente planejados. O projeto é viável? O plano está correto? O prazo é realista? Envie mentalmente os ajustes para tornar esse projeto executável ao criativo e ao Executor.
  • Volte à sala do Criador. Assuma a mente criativa e faça os ajustes necessários para que o projeto aconteça. Passe para a sala do Executor e, como profissional da área, reorganize o projeto. Depois, vá até a sala do Crítico e veja se ainda existe algum ajuste. Enquanto houver reparos, transite entre as salas até que o projeto fique viável.
  • Parabéns! Você utilizou as três habilidades para conquistar suas metas e objetivos.
  •  

Quadro: caminhe sobre cada quadro (papel no chão) como se estivesse entrando em salas         

 

Conclusão

 

A genialidade de Walt Disney estava na capacidade que ele tinha de pensar de três maneiras diferentes. Ao usar a técnica dele, você desenvolverá a integração das três competências mentais na concretização de um projeto. O que dificulta a realização dos sonhos é justamente o desequilíbrio entre as três mentes. O excesso de senso crítico pode acabar com um sonho ou muita criatividade sem um plano pode fazer da pessoa uma sonhadora. E um executor sem um sonho pode tornar-se um robô. Então, o segredo dessa prática é a união harmoniosa e equilibrada da potencialidade mental nas três dimensões. Espero que você se supere e que transforme seus sonhos em realidade.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima