Alternativas

A imensa maioria de nós está em vendas porque, no início da vida profissional, não tinha outra alternativa válida para escolher; em outras palavras, a maior parte de nós não começou em vendas porque optou por isso, mas porque precisava sobreviver e não via outra condição a não ser praticar vendas. A imensa maioria de nós está em vendas porque, no início da vida profissional, não tinha outra alternativa válida para escolher; em outras palavras, a maior parte de nós não começou em vendas porque optou por isso, mas porque precisava sobreviver e não via outra condição a não ser praticar vendas.

Este início, como não poderia deixar de ser, foi, é, e sempre será muito difícil por duas razões:

a.Todo início, em toda e qualquer profissão, é difícil;
b.O quase total despreparo para exercício da mesma.

Naqueles momentos tínhamos a mais absoluta consciência que não nos restava outra alternativa a não ser tentar a sorte como vendedores; fosse do que fosse, e, assim sendo, nos apegamos com a primeira coisa que nos apareceu, e lá fomos nós desbravar, primeiramente a nós mesmos, depois a profissão, depois aos clientes e ao mercado; enfim, estávamos lutando contra tudo e, o que é pior, sem “arma” alguma que pudesse nos ajudar, a não ser a nossa absoluta necessidade de sobreviver.

Alguns anos se passaram, muitos, para alguns, menos para outros, e aqui estamos nós continuando a ser vendedores. Será que para todos os que superaram aquela fase de principiantes e que continuam vendedores a situação ainda é a mesma; ou seja, continuam apenas porque não têm – ainda – outra alternativa para sobreviver? Não!

Muitos de nós já poderia ter deixado essa vida de tantas lutas e de tantos riscos todos os dias, e passado a praticar alguma outra profissão, mas continuam sendo vendedores. Por quê?

Porque acabaram descobrindo – por acaso, ou não – que estão na mais espetacular e maravilhosa de todas as profissões que existem e que nada os realiza mais do que ouvir o seguinte de um cliente: “Está bem; você me convenceu, pode mandar”! Ou, ainda: “Bom dia; que bom que você voltou; quero fazer negócio com você outra vez”! Ou: “Você está de parabéns; aquele produto que você me vendeu, me rendeu um lucro ótimo”!

Quais entre nós, vendedores, já teve a felicidade de ouvir alguma dessas “maravilhas” ditas por seus clientes? Todos aqueles que aprenderam a amar e a gostar de conquistar pessoas. Jamais ouvirá algo parecido com isso, quem for ao cliente apenas para buscar o pedido. Buscar o pedido é o lado mais pobre e medíocre da nossa formidável profissão; agora, conquistar pessoas e fazer com que elas gostem de nós, é o lado grandioso dessa mesma profissão.

Continuam e continuarão sempre sem alternativa todos aqueles que querem apenas vender. Esses jamais sentirão as grandes alegrias materiais e espirituais que há na nossa profissão; mas, aqueles que fizeram desse “limão, uma gostosa limonada”, transformando aquela situação inicial em algo grandioso e bom de ser vivenciado, esses são os grandes vencedores na vida e no trabalho.

É mais do que claro e lógico que, ao iniciar, entendamos que o nosso papel seja vender – apenas vender – nada mais. Mas, ao longo dos anos de experiência e vivência acabamos percebendo que esse não é o melhor caminho para fazer dessa profissão algo maravilhoso para nós e para os nossos clientes.

Pense no seguinte: “Como age o cliente que gosta de você?” Aquele que não compra apenas porque precisa, mas porque tem prazer em fazer negócios com você? Aquele que te recebe com um largo e gostoso sorriso e te trata com muita alegria e consideração? Como ele age? Ele:

1.Espera você voltar para completar o estoque dele;
2.Conta para você tudo o que os seus concorrentes estão pensando em fazer;
3.Converte os amigos e parentes em seus novos clientes;
4.Aceita quando você comete algum erro e entende que isso – de vez em quando – também faz parte;
5.Corrige as suas falhas, dando orientações preciosas para você passar a agir desta ou daquela forma;
6.Telefona para você ir lá buscar mais um pedido;
7.Fica bravo quando você dá mais atenção a algum outro cliente, que está dando a ele (é ciumento);
8.Se puder compra mais do que precisa para poder ajudar você;
9.Quando está faltando algum pedido para atingir a cota, onde é que você corre? Nos clientes que você conquistou; e como é que ele reagem? Compram;
10.Estão sempre à sua disposição. Para os outros vendedores há dia e hora certa para serem atendidos; para você, não – é só aparecer.

Veja quanta coisa maravilhosa essa profissão propicia para todos os que aprenderam que vender não é tirar pedido, mas CONQUISTAR PESSOAS. Os profissionais que viram isso e aprenderam a fazer isso podem deixar de ser vendedores a hora que quiserem; acontece, entretanto, que eles também acabam conquistados por tudo que foram capazes de fazer e nunca mais conseguem parar ou começar a fazer algo diferente.

Como é que se conquista pessoas? Muito simples: “FAZENDO COM QUE A VIDA DELAS MELHORE”. Ajude alguém a ganhar mais dinheiro; ou a deixar de andar de ônibus para andar no seu próprio veículo; ou a passar férias inesquecíveis; ou a receber o conserto do próprio carro; ou comprar a casa própria; ou … Não tem fim a lista do que podemos fazer pelos outros e assim conquistá-los.

Se você é um vendedor competente, não se iluda, você tem alternativas se quiser deixar de ser vendedor; mas se você não se desenvolveu e continua praticando vendas da mesma maneira como começou, então, meu amigo, você continua na mesma situação em que começou. Sabe de quem é a culpa? Com toda a certeza não é do mercado, ou da sua empresa, ou do seu chefe, ou do concorrente, ou do Taleban, ou de quem quer que seja; ela é só sua. TODA SUA! E você vai continuar sem alternativa sim; pelo resto dos seus dias. Não gostou? Mude, ou de atitude ou de profissão! Viu? Você tem alternativa até para mudar.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima