O Monte Fuji

O Monte Fuji No ano passado, quando cumpri minha turnê pelo Japão, tive a oportunidade de conhecer uma nova cultura e posso assegurar que experiências não faltaram. Um país diferente no jeito de lidar com as pessoas, de encantar consumidores pelos gestos, fala mansa e onde, às vezes, há muito silêncio.

Algumas vezes, tive a grata surpresa de ingressar nas lojas e ser atendido como um verdadeiro imperador. Na verdade, a impressão que dá é que todo mundo está apto e disposto a servi-lo. Uma das coisas que me chamou muito atenção foi quando conheci um executivo de uma empresa japonesa e pude conversar com ele sobre liderança.

Parece que do outro lado do mundo, apesar dos samurais, também é difícil encontrar, ou melhor, garimpar talentos. E em tempos de dificuldades para encontrar raridades vale tudo e cada um tem sua metodologia. Pode parecer loucura, mas é bastante eficiente o que vi e ouvi sobre o processo de contratação de líderes dessa grande organização japonesa. O que você espera de um líder?

» Comprometimento
» Envolvimento
» Integridade
» Inteligência
» Energia
» Paixão por desafios
» Senso de planejamento

É, esses são alguns atributos que qualquer empresa admiraria em um líder. Agora, cá entre nós, é bastante difícil ter a percepção clara de todos esses elementos em uma entrevista, por mais criativos que sejamos.

E falando de criatividade, veja lá o que esse pessoal inventou: depois de selecionar pelo método tradicional três finalistas à vaga de gestores e líderes, os candidatos recebiam em casa um convite para comparecer à última e decisiva entrevista. Sabe onde? No pico do Monte Fuji! Por que lá? Bem, foi a mesma pergunta que fiz a eles.

A resposta é exatamente proporcional à sutileza oriental. Veja as opções:

» Candidato se perde.
» Candidato chega cansado.
» Candidato alcança o pico do Monte completando o triplo do tempo.
» Candidato não aparece.

Conclusões:

» Candidato não sabe planejar.
» Candidato não se preparou para o desafio.
» Candidato é ineficiente.
» Candidato não está comprometido.

Faz sentido ou não faz? Claro! Isso nos remete à letal importância na descoberta e garimpo de talentos. Definitivamente, vale tudo para não errar e comprometer sua equipe e seus clientes com devaneios de um pretenso alpinista. Boa escalada!

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima