Passos para elaborar um script em telemarketing

Os clientes não querem falar com máquinas. Desenvolva roteiros que não ?robotizem? o atendimento dos teleoperadores. Ao ligar para uma empresa e ser atendido sempre da mesma forma, é comum as pessoas se perguntarem se estão realmente falando com um ser humano. O que era para ser padronizado, bonito e bem organizado, torna-se insuportável quando o teleoperador segue o roteiro à risca.

Os scripts podem engessar o atendimento e causar má impressão nos clientes. No entanto, quando criado de forma dinâmica e flexível, pode manter a mínima padronização necessária e ser agradável ao cliente.

Como redigir o direcionamento para os atendentes ? O script é um roteiro que serve como base para a comunicação com o cliente. Ele pode ser bastante útil quando se pretende padronizar uma operação. Existem duas maneiras para redigir um roteiro:

&raquo Aberto ? Contém somente alguns passos principais a serem seguidos, deixando a condução da ligação por conta das habilidades do teleoperador.
&raquo Fechado ? Contém todos os passos a serem seguidos durante a ligação. Nesse caso, o teleoperador deve segui-lo rigorosamente.

Normalmente, o uso do script é muito questionado pela maioria dos teleoperadores, assim como por aqueles que recebem ligações em que ele foi utilizado (por ser muito mecânico, gerando a impressão de falar com uma máquina e não com um ser humano). Porém, fazer uso do script não necessariamente induz ao “robotismo”. Isso ocorre quando não há naturalidade do teleoperador em seu uso, quando ele simplesmente lê o que está escrito ou faz as perguntas sem a sensibilidade de conduzir o contato de maneira natural.

O roteiro é muito recomendado em situações de pós-venda ou de checagem da qualidade do atendimento, uma vez que pode ser redigido de forma direcionada.

7 passos para elaborar um script

1. Para redigir um roteiro é importante monitorar as ligações realizadas pela sua equipe ? Ouça ligações gravadas para entender como cada cliente reage ao uso do script. Identifique os pontos falhos. Determine as partes que necessitam de aperfeiçoamento na argumentação. Verifique o TMA (Tempo Médio de Atendimento) que o seu teleoperador leva para realizar um contato.

2. Reúna todo o material e divida a ligação em etapas ? Abordagem, apresentação, mensagem, explanação, argumentação, objeções e finalização.

3. Nunca escreva um script sozinho ? Solicite a contribuição de outros membros da equipe, inclusive dos próprios teleoperadores, para homogeneização da linguagem.

4. Pesquise novas palavras, frases e outras formas de expressão da linguagem ? O teleoperador pode escolher aquela que melhor se adaptar, lembrando de manter a interpretação correta e adequada ao objetivo do contato. Ex: ?Senhor, faremos a localização de seu pedido.? (frase original); ?Senhor, rastrearemos seu pedido.?; ?Senhor, vou localizar seu pedido.?

5. Ofereça treinamento aos teleoperadores ? Nunca os treine para seguir o script à risca, e sim para falar com entusiasmo e energia. Por meio da simulação é possível conseguir bons resultados.

6. Autonomia para o teleoperador ? Permita ao teleoperador condições de prestar um atendimento personalizado, sem tempo restrito, punições ou críticas. Com mais liberdade, ele passará a se relacionar com o cliente e não simplesmente a atendê-lo.

7. Faça testes ? Realize uma ligação, corrija o que for necessário e reescreva o roteiro.

Conteúdos Relacionados

Dica número 1 de liderança em vendas

Volta e meia recebo perguntas como esta: “Raul, se você pudesse me dar só uma dica sobre como ser um gestor melhor, qual seria?”

Procuro evitar responder questionamentos como este porque eles costumam vir de alguém que está procurando um atalho ou uma pílula mágica, mas a verdade é que sempre existe mais de uma opção para resolver um problema ou desafio – por isso mesmo, buscar uma única ferramenta milagrosa raramente traz os melhores resultados.

Continuar lendo
Rolar para cima