Treine seu cérebro para criar e realizar mais

Como funciona o treinamento do cérebro? Como o cérebro humano é único, não existindo um modelo igual ao seu, o autoconhecimento é, então, o primeiro passo nessa olimpíada. Hoje sabemos que utilizamos apenas 10% do nosso cérebro. A boa notícia dos cientistas, entretanto, é que o cérebro é o órgão mais treinável do corpo. Por isso é bom ficar atento à lei da biologia do uso e desuso: usou, desenvolve, não usou, atrofia.

Como funciona o treinamento do cérebro? Como o cérebro humano é único, não existindo um modelo igual ao seu, o autoconhecimento é, então, o primeiro passo nessa olimpíada. É preciso reconhecer seus modelos mentais, que funcionam como anteparos, dirigindo sua linha de pensamento, visão do mundo e, conseqüentemente, seu comportamento.

Temos constatado que mediante o desenvolvimento do pensamento é possível organizar e reorganizar as percepções e as experiências, com o objetivo de enxergar o mundo de forma diferente, tendo uma visão mais clara dos problemas, e capacidade para buscar estratégias e soluções. Vale buscar ferramentas de apoio, como livros, troca de experiências com outras pessoas, filmes, terapias, participação em cursos, etc… Busque os conhecimentos básicos a seu respeito e depois vá se aprofundando.

Equilíbrio é essencial

Estudos científicos indicam a predominância de um dos lados na personalidade do indivíduo. O lado esquerdo é o da razão, da lógica, da matemática. O direito é o criativo, sonhador, visionário. A predominância vai influenciar na escolha profissional. Engenheiro lida com cálculo, assim, prevalece o lado esquerdo. Artista atua com a intuição, a estética, então o predomínio do lado direito. O mundo precisa de profissionais dos dois tipos, mas a cada dia fica mais claro que o ideal é o equilíbrio entre os dois. Esse equilíbrio hoje é um grande diferencial.

Nos programas de treinamento de criatividade e inovação estamos constantemente relembrando que idéias lançadas sem concretização são ilusões. O processo criativo vai desde sonhar até colocar em prática e avaliar. Isso é o uso integral do cérebro.

Se você está entre os que utilizam apenas um lado e deixaram passar qualquer aprendizado referente ao outro, saiba que sempre é tempo de começar. Como? Veja:

Exercícios físicos – fazem bem ao cérebro porque provocam a produção de endorfina, substância responsável pela sensação de prazer, capaz de compensar os efeitos nocivos da adrenalina, substância provocada pelo estresse, altamente prejudicial à ação cerebral.

Leitura de qualidade – aumenta a capacidade de armazenar informações, além de ativar a memória, aumentar a compreensão e a associação. E ainda contribui para melhorar seu vocabulário. Diversifique sua leitura e o resultado será ainda melhor. Atente para refletir sobre o que leu. Feche o livro, pense um pouco sobre o trecho lido, buscando entendê-lo o máximo possível. Comente com alguém que leu a mesma coisa. Ao fazer isso você estará tanto armazenando informações quanto ativando seu cérebro, desenvolvendo o raciocínio crítico, a imaginação e a criatividade.

Diversificar – quem percebe que começa a não se lembrar de nomes, a não ter novas idéias ou motivação por novos interesses, deve ficar atento para não deixar o cérebro entrar em apatia. Faça coisas inesperadas para provocar uma espécie de tratamento de choque no cérebro. Ambientes diferentes, que apresentam desafios, são excelentes agentes de mudança.

Curiosidade – o melhor estímulo para o cérebro ainda é a curiosidade, a capacidade de se deslumbrar. Aprenda a pintar, dançar, cantar, saia da rotina. Resgate sua capacidade de se surpreender. Invente um novo roteiro para a sua vida.Tenha a criatividade não somente como uma estratégia para diferenciar-se no mundo do trabalho, mas como uma filosofia de vida.

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima