Uma questão de reposiocionamento

Leia esta pequena fábula que encontrei na internet:

Duas pulgas conversavam, e uma comentou:

– O problema é que não voamos. Daí nossa chance de sobrevivência quando percebidas pelo cachorro é zero.

E contrataram uma mosca-consultora, entraram num programa de reengenharia de vôo e saíram voando. Mas logo a primeira pulga falou para a outra:

– Quer saber? Voar não é o suficiente. Temos de aprender com os pernilongos a nos alimentarmos com rapidez.

E um pernilongo lhes prestou uma consultoria para incrementar o tamanho do abdômen. Não resolveu. Como ficaram maiores, eram percebidas pelo cachorro, e espantadas antes mesmo de pousar. Foi aí que encontraram uma saltitante pulguinha:

– Vocês estão enormes! Fizeram plástica?

– Não, reengenharia. Agora somos pulgas adaptadas ao século 21. Voamos e podemos armazenar mais alimento.

– E por que estão com cara de fome?

– Isso é temporário. Já consultamos um morcego, que vai nos ensinar a técnica do radar. E você?

– Ah, vou muito bem, obrigada.

Era verdade. A pulguinha estava viçosa e bem alimentada. Mas as pulgonas não deram a pata a torcer:

– Mas você não está preocupada com o futuro? Não pensou em reengenharia?

– Claro! Contratei uma lesma como consultora.

– Hã?

– Pedi à lesma que avaliasse a situação e me sugerisse a melhor solução. Ela passou três dias observando o cachorro e então me deu o diagnóstico.

– E o que ela sugeriu?

– Sente-se sempre no cocuruto do cachorro. É o único lugar que a pata dele não alcança.

Muitas vezes, a grande mudança é uma simples questão de reposicionamento.

Um abraço e boa leitura, Raúl Candeloro Editor

Conteúdos Relacionados

Rolar para cima